Juiz autoriza aborto em feto de 6 meses com anomalia

O juiz Marcelo Paulo Salgado, da 36ª Vara Cível de Belo Horizonte, autorizou a interrupção da gravidez da autora, com o feto diagnosticado com megabexiga. Esta anomalia causa dificuldades renais e a não formação dos pulmões, o que torna inviável a respiração do bebê fora do útero.

 

A anomalia foi constatada na 12ª semana de gestação e na 22ª o quadro do feto apresentou uma piora, com a redução da caixa torácica e pulmões.

 

Por isso, os pais entraram na Justiça com pedido de tutela de urgência para a interrupção da gravidez. O Ministério Público apresentou-se contrário a interrupção, com a justificativa que mesmo sendo pequena a chance de sobrevivência do bebê, após o nascimento, poderia ser tentado uma terapia renal substitutiva.

 

O magistrado levou em consideração o relatório médico, que informava que o desenvolvimento incompleto dos pulmões inviabilizava até mesmo a vida intrauterina do feto e autorizou o aborto, já que a não interrupção levaria a mãe a um grave sofrimento psicológico e poderia expor inutilmente a sua vida ou saúde a risco, visto a perspectiva nula de sobrevida do nascituro.

 

Fonte: Migalhas

Como posso ajudar? Entre em contato.